https://www.pexels.com/photo/blur-chart-check-up-curve-415779/
Apresentação
É visível um crescimento acentuado das fontes de informação biomédicas disponíveis eletronicamente, o que concorre para que a pesquisa e uso da informação se revelem cada vez mais exigentes nesta área. Para os alunos dos cursos de Saúde da Universidade de Aveiro, uma das áreas críticas tem a ver com a descoberta, seleção e uso da informação para a Prática Baseada na Evidência, já que estas competências são essenciais na prática profissional para a qual se estão a preparar.

“Evidence based medicine is the conscientious, explicit, and judicious use of current best evidence in making decisions about the care of individual patients. The practice of evidence based medicine means integrating individual clinical expertise with the best available external clinical evidence from systematic research.”  (Sackett et. al., 1996). 

Este guia tem como propósito a apresentação do conceito “Prática Baseada na Evidência” e a descrição e caracterização das fontes de informação para a pesquisa e recolha de informação nesta área.
Recursos de informação filtrados
Estes documentos possuem tipos de estudo específicos, normalmente sumários e documentos de análise de evidências derivadas de fontes de informação primárias ou não filtradas. Geralmente incluem recomendações para a prática.

Quais os tipos de estudos relevantes?

Guias para a prática clínica (Clinical Practice Guidelines)
Documentos que incluem recomendações para a prática clínica de uma forma sumarizada. Responde a uma série de questões para ajudar os profissionais de saúde a intervir.

“They are systematically developed statements which help the practitioner and patient make decisions about appropriate health care in specific circumstances.They set out the most effective means of managing a condition or clinical problem, by finding, appraising and summarising (synthesising) relevant research on the topic. Clinical guidelines uniquely provide recommendations for practice that are derived from the comprehensive assessment of available evidence.”

Fonte:
WCPT Keynotes EBP: Clinical guidelines 1 and introcuction


Meta-análises (Meta-Analyses) e Revisões sistemáticas (Systematic Reviews)
Uma revisão sistemática responde a uma questão específica, com base numa recolha sistemática da literatura, apresentando recomendações para a prática baseadas nos estudos mais relevantes. Publicações que incluem uma avaliação crítica da qualidade de cada um dos estudos e apresenta os resultados de uma forma sistemática. Uma meta-análise (meta-analysis) é uma revisão sistemática que compara,  combina e analisa do ponto de vista estatístico os resultados dos  vários  estudos.
Recursos de informação não filtrados
As evidências de que os profissionais de saúde necessitam para a prática profissional nem sempre estão disponíveis nos chamados recursos de informação filtrados. Para a recolha de informação mais atual há que recorrer a fontes de informação de literatura primária. A pesquisa primária pode exigir mais tempo, experiência e cuidados na avaliação, razão pela qual os recursos filtrados são fontes mais adequadas para o início da recolha de informação para a Prática Baseada na Evidência (PBE).
Pirâmide da prática baseada na evidência

Fonte: Fonte: http://www.medlib.am/?page=4 

Mais informação sobre a pirâmide em Students 4Best Evidence.
Precisa de ajuda?
Serviço de Referência e Apoio à Pesquisa de Informação

Na BIBLIOTECA DA UA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303

Na MEDIATECA, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 370 877
› Ext.: 22381

Na BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA), presencialmente das 14h30 às 16h30.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
Entre as 18h00 e as 22h00 através de marcação prévia - biblioteca@isca.ua.pt. O atendimento presencial tem lugar na Biblioteca do ISCA e está disponível para toda a comunidade.

Nas Bibliotecas da ESAN e ESTGA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
 
Etapas da prática baseada na evidência
1ª - O paciente     
Iniciar com o paciente - a questão clínica surge com a necessidade de informação que se coloca perante os cuidados a prestar ao paciente.
 
2ª - A pergunta     
Formular a questão clínica mediante o caso apresentado.
 
3ª - As fontes de informação e a pesquisa
Selecionar a(s) fonte(s) de informação apropriada(s) e realizar a pesquisa.
 
4ª - A avaliação     
Avaliar a informação recolhida quando à sua validade e aplicabilidade, ou seja, a sua utilidade na prática clínica.
 
5ª - O paciente     
Voltar ao paciente e integrar a evidência recolhida com a experiência clínica, as preferências do paciente. Aplicá-la na prática.
 
6ª - A avaliação     
Avaliar o seu desempenho com este paciente.
Precisa de ajuda?
Serviço de Referência e Apoio à Pesquisa de Informação

Na BIBLIOTECA DA UA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303

Na MEDIATECA, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 370 877
› Ext.: 22381

Na BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA), presencialmente das 14h30 às 16h30.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
Entre as 18h00 e as 22h00 através de marcação prévia - biblioteca@isca.ua.pt. O atendimento presencial tem lugar na Biblioteca do ISCA e está disponível para toda a comunidade.

Nas Bibliotecas da ESAN e ESTGA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
 
https://www.pexels.com/photo/bright-cardiac-cardiology-care-433267/
Algumas dicas de pesquisa
  • Utilizar palavras que representem o assunto a pesquisar;
  • Usar o MeSh sempre que tiver dúvidas na identificação dos termos em inglês a pesquisar;
  • Usar o DeCS sempre que tiver dúvidas na identificação dos termos em português a pesquisar;
  • Utilizar as "aspas" para pesquisar termos compostos.
    Ex. "neck pain";
  • Utilizar o asterisco (*) como truncatura, isto é, para pesquisar variações no início ou no final das palavras.
    Ex. Old* - recupera artigos com a palavra old, oldest, older...
    Ex. *edema - recupera Oedema, Lymphedema ou Lymphoedema
    NOTA: O asterisco (*) é usado para bases de dados como a PubMed e Scopus, mas pode variar noutras bases de dados;
  • O idioma a pesquisar deve corresponder ao da base de dados;
  • Usar os operadores boleanos "AND", "OR", "NOT" para pesquisas mais precisas;
  • Analisar os assuntos dos artigos e as referências bibliográficas para novas pesquisas.
PICO
A formulação de uma questão clínica implica o conhecimento prévio do assunto a pesquisar, observação da realidade, formulação da pergunta que representa a necessidade de informação, identificação dos pontos principais e, por último, a investigação nas fontes de informação. Ao formular  uma  boa  pergunta  de  pesquisa,  diminui a probabilidade de recuperar informação desnecessária, durante as fases do projeto de pesquisa.

A pergunta deve ser o ponto de partida para o investigador. Existem técnicas aplicadas à construção de uma boa questão clínica, entre elas a PICO, que compreende os seguintes elementos:
 
Paciente ou problema

Definir um paciente ou uma população, as suas características e a condição ou problema de saúde.
 
Intervenção

Definir a principal intervenção que está a considerar.
 
Comparação ou controlo

Identificar a principal intervenção alternativa que está a considerar, caso tenha, e de que forma a compara com a intervenção existente.
 
Outcome (resultado)

Definir o resultado, a meta a tentar alcançar, medir/avaliar, melhorar.

Após a definição da questão clínica é então possível identificar a evidência necessária para resolver o problema.
Introdução
As fontes de informação relacionadas com a Prática Baseada na Evidência podem ser classificadas como filtradas e não filtradas.
 
As fontes de informação filtradas reproduzem informação comentada e avaliada criticamente por um conjunto de autores, habitualmente da mesma especialidade ou organismos afins – as revisões sistemáticas. Estes autores utilizam uma metodologia explícita e critérios de pesquisa e seleção de informação que permitem a outros autores, que usam a mesma metodologia, chegarem à mesma conclusão. As revisões sistemáticas apresentam informações originais, baseadas em trabalhos já publicados e são consideradas da maior importância na evidência científica.
 
As fontes de informação filtradas são preferencialmente usadas em situações clínicas que apresentem um ritmo de atualização mais lento. Servem para aplicação prática, permitindo poupança de tempo, uma vez que já apresentam os resultados avaliados e prontos para serem aplicados.
 
As fontes de informação não filtradas disponibilizam trabalhos originais  (artigos científicos, relatórios, papers, etc)  que ainda não foram filtrados quer através da interpretação, quer da  avaliação basedas noutras investigações. Apresentam pensamentos originais, descrevem uma descoberta e partilham novas informações.
 
As fontes de informação não filtradas aplicam-se quando se pretendem resultados em primeira mão sobre situações clínicas frequentes, casos em que é produzida e publicada mais informação. É nas situações mais frequentes que surgem novas informações. São mais utilizadas na localização de informação para trabalhos de investigação científica e posterior divulgação. As consulta de publicações indexadas nestas fontes implicam por parte do investigador, uma avaliação crítica da validade dos resultados.
Precisa de ajuda?
Serviço de Referência e Apoio à Pesquisa de Informação

Na BIBLIOTECA DA UA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303

Na MEDIATECA, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 370 877
› Ext.: 22381

Na BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA), presencialmente das 14h30 às 16h30.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
Entre as 18h00 e as 22h00 através de marcação prévia - biblioteca@isca.ua.pt. O atendimento presencial tem lugar na Biblioteca do ISCA e está disponível para toda a comunidade.

Nas Bibliotecas da ESAN e ESTGA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
 
Fontes de informação filtradas
a.  PEDro
b.  PubMed Clinical Queries
c.  TRIP
d.  Cochrane
e.  Guidelines
f.  outros recursos
 
A.  PEDro

A base de dados PEDro é uma fonte de informação de evidências nas áreas da fisioterapia (Musculo-esquelética, Cárdio-torácica, Gerontologia, Neurologia, Incontinência e Saúde da Mulher, Pediatria, Ortopedia, Desporto, Oncologia e Ergonomia).
Está disponível na web e indexa ensaios randomizados, revisões sitemáticas e guias para a prática clínica em fisioterapia. Os ensaios clínicos indexados na PEDro são classificados de acordo com a sua relevância/qualidade, dando ao leitor a possibilidade de distinguir estudos mais ou menos válidos dentro da lista dos resultados, para tomadas de decisão clínica.

Como é atualizada a informação na PEDro
São realizadas pesquisas sistemáticas regulares nas bases de dados de literatura científica ligadas às ciências da saúde, tais como a Cochrane Rehabilitation & Related Therapies Field, com a finalidade de captar novos estudos clínicos, revisões sistemáticas e guias para a prática clínica.
  • Dica importante:
    A lista de resultados é organizada por título. As guidelines de prática clínica surgem em primeiro lugar, seguidas das revisões e dos trials.
    Informação mais detalhada da base de dados [pdf]
 
Esta secção específica da base de dados PubMed, da National library of Medicine, permite a localização de artigos relacionados com investigação clínica aplicada. Após a pesquisa, os resultados são agrupados em três categorias distintas - Clinical Study Categories, Systematic Reviews e Medical Genetics. A interface de pesquisa da PubMed Clinical Queries é simples e a interface de visualização dos registos é da PubMed, bem como todas as funcionalidades.
Está em didponível na Web e dá acesso imediato aos artigos de revistas Open Access mas sempre que surge um artigo de uma revista subscrita pela UA e b-on, o acesso ao texto integral é garantido para a comunidade académica da Universidade de Aveiro.
Indexa as áreas da Medicina, Enfermagem, Odontologia, Medicina Veterinária, Ciências Biomédicas e da Vida.
  • Informação mais detalhada da base de dados [pdf]
 
C.  TRIP

O TRIP é um motor de pesquisa em acesso livre especializado em recuperar informação através de sites relevantes com conteúdos na Prática Baseada na Evidência. Tem o objetivo de apoiar os profissionais de saúde na prática e tomada de decisões clínicas de forma precisa e rápida. Indexa revistas científicas nas áreas da medicina, revisões sistemáticas da Cochrane, guidelines, imagens, videos, bulas, cursos de formação, notícias nas áreas das ciências da saúde, entre outras publicações.  
Plataforma de pesquisa que reune através de um único ponto de pesquisa seis bases de dados relacionados com a investigação nas áreas das ciências da saúde - Cochrane Database of Systematic Reviews, Cochrane Central Register of Controlled Trials, Cochrane Methodology Register, Database of Abstracts of Reviews of Effects, Health Trechnology Assessment Database, NHS Economic Evaluation database.

A Cochrane Library é uma base de dados que não está em livre acesso na Web e não é subscrita pela Universidade de Aveiro, dificultando o acesso ao texto integral dos artigos. A pesquisa e recuperação de resultados bibliográficos está disponível gratuitamente, bem como artigos científicos e de revisão sistemática em Open Access.  
E.  GUIDELINES

Documentos que derivam da avaliação abrangente de informação baseada na evidência e que incluem recomendações aplicadas à prática clínica, de uma forma resumida e objetiva. Têm como missão ajudar a encontrar respostas a questões colocadas pelos profissionais de saúde, decorrentes da sua intervenção junto do paciente.

“They are systematically developed statements which help the practitioner and patient make decisions about appropriate health care in specific circumstances. They set out the most effective means of managing a condition or clinical problem, by finding, appraising and summarising (synthesising) relevant research on the topic. Clinical guidelines uniquely provide recommendations for practice that are derived from the comprehensive assessment of available evidence.”
Fonte: WCPT Keynotes EBP: Clinical guidelines 1 and introcuction

Onde pesquisar guidelines:  
F.  OUTROS RECURSOS
Fontes de informação não filtradas
a.  PubMed/Medline
b.  SCOPUS
c.  Web of Science

 
A.  PubMed / Medline

Bases de dados da National Library of Medicine dos Estados Unidos, especializada em literatura biomédica. A pesquisa nestas bases obedece a estratégias precisas para obter informação válida. O uso de palavras chave, que podem ser selecionadas através do Thesaurus MeSH (Medical Subject Headings) o uso de operadores booleanos (AND, OR, NOT) e de filtros específicos ajudam a limitar e a definir a pesquisa. Para encontrar informação adequada na PubMed é importante formular corretamente a query de pesquisa, o que pode demorar algum tempo até encontrar os resultados pretendidos, não sendo, por isso, um recurso acessível para a resolução rápida de dúvidas na prática diária.
 
Exemplos de pesquisa:
  1. Case Series / Case Report
    Assunto AND “case report” na pesquisa.
    - Recupera estudos de caso como tipo de publicação.
     
  2. Case Control Study
    Assunto AND “case control study” na pesquisa.
    - Recupera estudos com o termo do MeSH Case-control studies e o termo mais específico do MeSH Retrospective Studies.
     
  3. Cohort Study
    Assunto AND “cohort study” na pesquisa.
    - Recupera estudos com o termo do MeSH Cohort Studies e os termos mais específicos Follow Up Studies, Longitudinal Studies e Prospective Studies.
     
  4. Randomized Controlled Trial
    Assunto AND “randomized controlled trial” na pesquisa.
    - Recupera estudos com o termo do MeSH e como publicação Randomized Controlled Trial.
     
  5. Systematic Review
    Assunto AND “systematic review” na pesquisa.
    - Recupera revisões sistemáticas.
     
  6. Guidelines
    Assunto AND practice guideline.
 
B.  SCOPUS

Base de dados de artigos científicos e de citação nas várias áreas do conhecimento – Ciência, Tecnologia, Medicina, Ciências Sociais, Artes e Humanidades.

O acesso à SCOPUS está limitado à comunidade académica da UA. É suportado pelos browsers Firefox e IE, mas não pelo Safari.

Exemplos de pesquisa:
  1. Revisões sistemáticas
    “juvenile rheumatoid arthritis” and “systematic review”.
    - Recupera artigos de revisão com os assuntos pesquisados.

    O filtro “document type” – “review”, nem sempre recupera artigos de revisão sistemática, porque o artigo pode não estar classificado como de revisão. Para estes casos é mais seguro aplicar o tipo de publicação “systematic review” diretamente na janela de pesquisa.

    Os termos usados para indexar os artigos na área das ciências médicas são do Thesaurus EMTREE.
     
  2. Para a pesquisa de outros estudos usar na janela de pesquisa após o assunto:
    “Case-Control Studies”, “Cohort Studies”, “Randomized controlled trials”, “meta-analysis”.

    Verificar nos filtros disponíveis na página de resultados, na opção “Keyword”, se o termo está contemplado. Nem sempre os assuntos que constam deste filtro estão incluídos nas “author keywords” ou “Indexed keywords” do artigo.

    Tutorial de pesquisa da SCOPUS.
 
 
A Web of Science (WoS) é um conjunto de bases de dados de artigos e de citação, também conhecidas por “Science Citation Index”, “Current Chemical Reactions” e “Index Chemicus”. É através destas bases de dados que é calculado o Fator de Impacto (Impact Factor) das revistas que pode ser consultado na base de dados Journal Citation Reports, assim como outros indicadores bibliométricos.

Aplicam-se os mesmos exemplos de pesquisa da SCOPUS.

Tutorial de pesquisa na WoS.
Legenda
Restricted Resource = acesso restrito UA
openURL = acesso aberto
 
Precisa de ajuda?
Serviço de Referência e Apoio à Pesquisa de Informação

Na BIBLIOTECA DA UA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303

Na MEDIATECA, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 370 877
› Ext.: 22381

Na BIBLIOTECA DOMINGOS CRAVO (ISCA), presencialmente das 14h30 às 16h30.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303
Entre as 18h00 e as 22h00 através de marcação prévia - biblioteca@isca.ua.pt. O atendimento presencial tem lugar na Biblioteca do ISCA e está disponível para toda a comunidade.

Nas Bibliotecas da ESAN e ESTGA, presencialmente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.
› Email: sbidm-referencia@ua.pt
› Telef.: 234 247 149
› Ext.: 22322  |  22304  |  22303