Plataforma
PROA-UA: Plataforma de Revistas em Open Access da Universidade de Aveiro é um sistema de informação que pretende agregar e disponibilizar em acesso aberto, via Web, as revistas científicas e académicas dos departamentos, escolas e unidades de investigação da Universidade de Aveiro (UA), de forma a contribuir para a disseminação dos resultados da investigação publicada.

O software desta plataforma é o Open Journal Systems 3 (OJS), desenvolvido pelo Public Knowledge Project (PKP) especificamente para a publicação de revistas em Acesso Aberto e que tem uma vasta utilização internacional.


 
Publicação em Acesso Aberto
Publicações resultantes de investigação como artigos e livros podem ser acedidos em linha, isentos de pagamento por qualquer utilizador. No mínimo, essas publicações podem ser lidas em linha, descarregadas e impressas. Idealmente, devem ser concedidos direitos adicionais, como o direito a copiar, distribuir, pesquisar, referenciar, rastrear e extrair texto e dados . O Acesso Aberto pode ser concretizado através de duas vias principais não exclusivas:


Acesso Aberto Verde (autoarquivo):
Os investigadores depositam as suas publicações (versão publicada ou manuscrito final revisto por pares) em repositórios institucionais, o que assegura a gestão, a recuperação da informação e a interoperabilidade de forma mais eficaz. Auto arquivar num repositório institucional é preferível à disponibilização em sítios Web pessoais ou departamentais, já que os trabalhos são assim geridos de forma eficaz, obtendo maior visibilidade e impacto.
 
Acesso Aberto Dourado (publicação em Acesso Aberto): Publicação em revistas de Acesso Aberto. O modelo de negócio mais comum é baseado no pagamento feito pelos autores (designado APCs - taxa de processamento do artigo, ou BPCs - taxa de processamento do livro). Quando os conteúdos do Acesso Aberto se combinam com conteúdos que requerem assinatura ou aquisição, particularmente no caso de revistas, atas de conferências ou volumes editados, designa-se por Acesso Aberto híbrido.


Informação recolhida de :
Manual de Ciência Aberta
Configuração da revista
A função de configuração da revista é exclusiva do Editor-gestor e Editor da mesma.
Através do menu Configurações pode aceder-se a quatro submenus de configuração:
Revista, Website, Fluxo do trabalho, Distribuição

Ver manual.
 
Configuração do fluxo do trabalho
No menu Configurações > Fluxo do trabalho, é possível configurar todo o processo desde a submissão à publicação de um artigo.

Ver manual.
Configuração de utilizadores e papéis
Compete ao Editor-gestor da revista a administração dos seus utilizadores e do seu papel/função no fluxo editorial.

Ver manual.
Plugin de submissão rápida
Instruções técnicas para a submissão de artigos em http://proa.ua.pt através do plugin de submissão rápida.

Ver instrução técnica.
Orientações para o fluxo editorial de revistas
A edição de artigos na PROA-UA (OJS3) divide-se em quatro fases: submissão; revisão; edição de texto (copyediting); produção e publicação.
Ver manual.
Revisão por pares - o que é?
O processo de revisão por pares (peer review, refereeing) é o processo de mediação na publicação de artigos em revistas científicas e consiste numa avaliação dos trabalhos científicos por parte de revisores, especialistas da área científica.  É usada para avaliar o conteúdo dos resultados de investigação. Trata-se do mecanismo formal de certificação da qualidade através do qual os manuscritos são sujeitos ao escrutínio de outros, cujos comentários e feedback em geral são utilizados para melhorá-los e tomar decisões sobre a seleção para publicação. Através deste processo é certificada a qualidade dos artigos publicados numa revista científica.
Este processo e suas particularidades deve estar claramente descrito no site Web da revista.
 
Informação recolhida de:
Manual de Ciência Aberta

Orientações COPE
A ética é um aspeto essencial no processo de revisão por pares e em outras dimensões da publicação, já que garante a integridade no processo de comunicação científica.  O Committee on Publication Ethics (COPE) é uma organização que visa apoiar editores de publicações científicas, revisores e todos os envolvidos em questões éticas na publicação e desenvolveu nesse sentido um conjunto de guidelines para a ética no processo de revisão por pares.
COPE Ethical Guidelines for Peer Reviewers 
Peer reviewers play a role in ensuring the integrity of the scholarly record. The peer review process depends to a large extent on the trust and willing participation of the scholarly community and requires that everyone involved behaves responsibly and ethically. Peer reviewers play a central and critical part in the peer review process, but may come to the role without any guidance and be unaware of their ethical obligations. Journals have an obligation to provide transparent policies for peer review, and reviewers have an obligation to conduct reviews in an ethical and accountable manner. Clear communication between the journal and the reviewers is essential to facilitate consistent, fair and timely review. COPE has heard cases from its members related to peer review issues and bases these guidelines, in part, on the collective experience and wisdom of the COPE Forum participants. It is hoped they will provide helpful guidance to researchers, be a reference for editors and publishers in guiding their reviewers, and act as an educational resource for institutions in training their students and researchers.
Mais informação
Tipos de revisão por pares
Existem diferentes tipos de revisão por pares e cabe ao corpo editorial da revista a definição dos termos em que decorre este processo:
Cega (single-blind peer review)
o método tradicional de revisão e o tipo mais comum; o autor não conhece a identidade dos revisores.
 
Duplamente cega (double-blind peer review) os revisores não conhecem a identidade dos autores dos manuscritos e os autores desconhecem a identidade dos revisores. Esta forma de avaliação por pares é mais comum nas áreas de conhecimento das Ciências Sociais e Humanidades.
  
Aberta (open peer-review)
termo abrangente para um conjunto de formas diferentes e sobrepostas em que os modelos da revisão por pares podem ser adaptados em função dos objetivos da Ciência Aberta. Tem como características:

- identidades abertas, em que os nomes do autor e do revisor são conhecidos por ambos;

- comentários abertos, em que os comentários dos revisores são publicados juntamente com o artigo - adicionam uma garantia de qualidade, permitindo que a comunidade em geral analise as revisões e os processos de tomada de decisão. Aplica-se apenas a artigos aceites.

Esta modalidade de revisão é usada por um crescente número de revistas em acesso aberto. 
 
Ainda outros tipos de revisão
Transparente
semelhante ao modelo “aberto” em que os comentários dos revisores são abertos, mas neste modelo os revisores não são identificados.

Interativa ou colaborativa
refere-se às interações entre vários revisores e entre autores e revisores de forma a facilitar o processo de avaliação por pares. Este processo pode ser anónimo ou aberto.

Pós publicação (post-publication peer review)
é possível a realização de revisões após a publicação do artigo, podendo assumir a forma de comentários ou fórum de discussão. Esta forma de revisão é na maioria dos casos complementar a outras formas de revisão por pares e pode ser anónima ou aberta.

Comentários em preprints
comentários públicos realizados em artigos em versão preprint partilhados em repositórios.

 
Políticas de direitos de autor
Nas publicações disponíveis mediante subscrição, tradicionalmente o autor transfere os direitos de autor mediante um acordo ou license agreement.

Esta transferência de direitos implica que os autores devem solicitar à revista permissão para reutilizar o seu próprio trabalho, para além do permitido pela lei aplicável, a menos que alguns usos estejam já previamente autorizadas. Entre essas utilizações autorizadas encontram-se o ensino, a partilha com colegas e as condições para os investigadores depositarem os seus artigos em repositórios.


Tipos de políticas
Existem dois tipos de políticas:
O Autor mantém os direitos de autor - revistas em Acesso Aberto
Nas revistas em Acesso Aberto os autores ficam com os direitos de autor dos trabalhos. Na maior parte dos casos, neste cenário de publicação em Acesso Aberto o autor cede à revista uma licença para a utilização e distribuição do artigo

A declaração pode aparecer no processo online de submissão do artigo ou num documento à parte que é assinado pelo autor e poderá ter um texto como: “Authors retain copyright and grant the journal right of first publication with the work simultaneously licensed under a Creative Commons XX License...”

Deverá ainda ser incluída no texto do artigo a indicação de que o autor é detentor dos direitos de autor, num texto como:
© . Este é um artigo em Acesso Aberto distribuído mediante os termos da licença CC XX (com link), o que permite (…)
 
O autor cede os direitos à editora.
Muitas revistas requerem que os autores transfiram todos os direitos de autor para a publicação
- O autor cede todos os direitos ao editor de publicação – para qualquer uso posterior do conteúdo da publicação o autor terá que solicitar permissão ao editor.
- O autor cede uma licença exclusiva ao editor da publicação – são cedidos alguns direitos por parte do autor apenas ao editor em causa que podem passar por publicar e distribuir online. Enquanto o acordo estiver ativo, o autor não poderá ceder os direitos a terceiros.
- O autor cede ao editor uma licença não exclusiva – este modelo é similar à cedência da licença exclusiva, mas o autor poderá ceder os mesmos direitos a outra parte.
Princípios de transparência na publicação
A publicação Principles of Transparency and Best Practice in Scholarly Publishing (Versão em Português(jan 2018) é uma lista de princípios geral que visa a sedimentação de princípios gerais de transparência e boas práticas para as publicações científicas.
Criada em colaboração pelas organizações:
Committee on Publication Ethics (COPE)
Directory of Open Access Journals (DOAJ)
Open Access Scholarly Publishers Association (OASPA)
World Association of Medical Editors (WAME)


 
Princípios de transparência na publicação - direitos de autor
A política de direitos de autor da revista deve estar claramente expressa no site Web da revista
 
O detentor dos direitos de autor deve estar indicado no corpo dos artigos
 
Devem ser referidas as licenças utilizadas e eventuais aspetos específicos
 
Deve ser claramente descrita a política para depósito de versões em repositórios para práticas de Ciência Aberta e cumprimento de requisitos de Acesso Aberto (preprint, postprint/versão aceite para publicação, versão final):
Postprint/ versão aceite para publicação
versão do trabalho, que contém todas as alterações decorrentes dos processos de validação científica e arbitragem e que é acordada entre o autor e o editor como a versão que será publicada, mas antes ainda de ser submetida à revisão de texto e à composição tipográfica, é a que se designa também versão final do autor.

Preprint
Rascunho de um manuscrito que ainda não foi objeto da revisão pelos pares e que é previamente divulgado para obtenção de comentários e sugestões dos seus pares. É o texto digital de um artigo ainda não avaliado e revisto e ainda não aceite para publicação em revista científica.

Versão do Editor/ Publisher’s Version
a versão que é publicada, sendo idêntica à versão final do autor, no que diz respeito ao conteúdo, mas tendo sofrido as alterações decorrentes da revisão de texto e da composição tipográfica.

Fontes:
Principles of Transparency and Best Practice in Scholarly Publishing

Glossário Ciência Aberta
Licenças
Nas Revistas em Acesso Aberto os autores ficam com os direitos de autor dos trabalhos.
O autor deve cede à revista uma licença para a utilização e distribuição do artigo.  

As licenças abertas concedem permissão para aceder, reutilizar e redistribuir material com poucas ou nenhumas restrições. Estas licenças variam de muito abertas a muito restritivas.
Aplicar uma licença aberta a um trabalho científico (quer seja um artigo, dados ou outro tipo de resultado de investigação) é uma forma de o detentor dos direitos de autor expressar as condições sob as quais o trabalho pode ser acedido, reutilizado e modificado.

As licenças mais usadas para licenciar produção científica são as licenças Creative Commons.
 

Mais informação: Manual de formação em CIência Aberta 



 
Licenças Creative Commons - CC
Têm âmbito mundial, são perpétuas e gratuitas.
Através das Licenças Creative Commons, o autor de uma obra define as condições sob as quais essa obra é partilhada com terceiros, sendo que todas as licenças requerem que seja dado crédito ao autor da obra, da forma por ele especificada.
 

As licenças CC resultam essencialmente da combinação de quatro condições essenciais:

  • Atribuição (BY), que obriga o utilizador a atribuir o devido crédito ao licenciante, conforme indicado na licença;
  • Não Comercial (NC), que exige que a utilização do material licenciado não seja primariamente intencionada ou direcionada a uma vantagem comercial ou compensação monetária;
  • Sem Derivações (ND), que proíbe o utilizador de partilhar material adaptado;
  • Compartilha Igual (SA), que obriga o utilizador a compartilhar qualquer material adaptado sob uma licença que seja igual ou contenha termos equivalentes aos da licença sob a qual o material licenciado foi disponibilizado.

Informação de:
Glossário Ciência Aberta 
Direitos de autor e Creative Commons

 
Tipos de licenças CC
Licença CC de Atribuição (BY)
CC BY
A mais permissiva do leque de opções. Nos termos desta licença, a utilização da obra é livre, podendo os utilizadores fazer dela uso comercial ou criar obras derivadas a partir da obra original.  É essencial que seja dado o devido crédito ao seu autor.  


Licença CC de Uso Não-Comercial (NC) 
CC BY-NC
O autor permite uma utilização ampla da sua obra (reutilizar e partilhar), limitada, contudo, pela impossibilidade de se obter através dessa utilização uma vantagem comercial. É também essencial que seja dado o devido crédito ao autor da obra original. 

Licença CC de Partilha nos mesmos termos (SA) CC BY-SA
Quando um autor opte pela concessão desta licença pretenderá, não só que lhe seja dado crédito pela criação da sua obra, como também que as obras derivadas desta sejam licenciadas nos mesmos termos. Esta licença é muitas vezes comparada com as licenças de software livre. 

Licença CC Sem Derivações (ND)
CC BY-ND
Esta licença permite a redistribuição, comercial ou não-comercial, desde que a obra seja utilizada sem alterações e na íntegra. É também essencial que seja dado o devido crédito ao autor da obra original. 


Licença CC de Uso Não-Comercial e de Proibição de Obras Derivadas (NC-ND)
CC BY- NC-ND
A licença menos permissiva do leque de opções que se oferece ao autor, permitindo apenas a redistribuição. Não é permitida a realização de um uso comercial, como é inviabilizada a realização de obras derivadas. 

​Licença CC0
“No Rights Reserved”
Permite aos investigadores, artistas e outros criadores de conteúdos protegidos por direitos de autor a renunciar a esses direitos e, assim, colocá-los no domínio público, para que outros possam deles usufruir, reutilizar e melhorar para quaisquer fins e sem restrições da legislação de direitos de autor. 
Informação CC em Português
Conuslte informação sobre as licenças no site Web Creative Commons em língua portuguesa


Práticas COPE
Committee on Publication Ethics (COPE) é uma organização que visa apoiar editores de publicações científicas, revisores e todos os envolvidos em questões éticas na publicação. 
Desenvolveu um conjunto de indicações práticas "Core Practices" que os editores deverão seguir ao nível da ética e integridade na publicação científica.
Consulte o poster resumo aqui.

Texto original:

1. Allegations of misconduct
Journals should have a clearly described process for handling allegations, however they are brought to the journal's or publisher’s attention. Journals must take seriously allegations of misconduct pre-publication and post-publication. Policies should include how to handle allegations from whistleblowers.
 
2. Authorship and contributorship
Clear policies (that allow for transparency around who contributed to the work and in what capacity) should be in place for requirements for authorship and contributorship as well as processes for managing potential disputes

3. Complaints and appeals
Journals should have a clearly described process for handling complaints against the journal, its staff, editorial board or publisher

4. Conflicts of interest / Competing interests
There must be clear definitions of conflicts of interest and processes for handling conflicts of interest of authors, reviewers, editors, journals and publishers, whether identified before or after publication
 
5. Data and reproducibility
Journals should include policies on data availability and encourage the use of reporting guidelines and registration of clinical trials and other study designs according to standard practice in their discipline

6. Ethical oversight
Ethical oversight should include, but is not limited to, policies on consent to publication, publication on vulnerable populations, ethical conduct of research using animals, ethical conduct of research using human subjects, handling confidential data and ethical business/marketing practices
 
7. Intellectual property
All policies on intellectual property, including copyright and publishing licenses, should be clearly described. In addition, any costs associated with publishing should be obvious to authors and readers. Policies should be clear on what counts as prepublication that will preclude consideration. What constitutes plagiarism and redundant/overlapping publication should be specified
 
8. Journal management
A well-described and implemented infrastructure is essential, including the business model, policies, processes and software for efficient running of an editorially independent journal, as well as the efficient management and training of editorial boards and editorial and publishing staff
 
9. Peer review processes
All peer review processes must be transparently described and well managed. Journals should provide training for editors and reviewers and have policies on diverse aspects of peer review, especially with respect to adoption of appropriate models of review and processes for handling conflicts of interest, appeals and disputes that may arise in peer review
 
10. Post-publication discussions and corrections
Journals must allow debate post publication either on their site, through letters to the editor, or on an external moderated site, such as PubPeer. They must have mechanisms for correcting, revising or retracting articles after publication

 
Ética na publicação artes, humanidades e ciências sociais - COPE
Introdução
Bases de dados bibliográficas
São coleções de referências bibliográficas de artigos científicos e constituem-se como as ferramentas mais adequadas para localizar artigos científicos sobre um determinado tópico.
Indexam um conjunto de revistas científicas de vários editores, instituições académicas e unidades de investigação.
Proporcionam visibilidade às publicações ao agregarem num único ponto de pesquisa um conjunto vasto de publicações. 

De forma a obter visibilidade e prestígio, é fundamental que uma revista científica esteja indexada nas bases de dados e índices internacionais mais usadas pela comunidade científica.A indexação de uma revista é indicativo da sua qualidade e é essencial para que a publicação seja reconhecida como uma fonte certificada de informação científica.
 
Indexação em bases de dados e índices
As bases de dados e índices dispõem, na maior parte dos casos, de um conjunto de critérios de avaliação e os mecanismos para submissão variam. Agregam informação segundo princípios de qualidade e relevância que se aplicam aos critérios de inclusão de novas publicações/revistas.
 
Algumas das questões importantes:
É relevante a inclusão da revista nesta base de dados em específico?
Quais os critérios para a indexação?
Qual o processo de submissão de publicações na base de dados?
 
As bases de dados Web of Science Core Colection, Scopus e o diretório de revistas Acesso Aberto e base de dados DOAJ são as plataformas em que deve ser colocada a maior atenção, já que são ferramentas chave no ecossistema atual de publicação científica.
Recursos de Apoio para Submissão de Revistas
DOAJ - inclusão de revistas
Directory of Open Access Journals - DOAJ é um diretório online com curadoria comunitária que agrega revistas científicas com peer-review em Acesso Aberto publicadas por diferentes editores e organismos, abrangendo todas as áreas científicas.
 

Scopus - inclusão de revistas
A base de dados Scopus agrega mais de 22.800 revistas e é uma ferramenta importante para os processos de pesquisa, descoberta e avaliação da informação científica, na medida em que inclui contagem de citações por artigo e outras métricas. A submissão de uma revista nesta base de dados pode ser realizada mediante o preenchimento de um formulário específico.


 
Crítérios mínimos de seleção:
  • Consist of peer-reviewed content and have a publicly available description of the peer review process
  • Be published on a regular basis and have an International Standard Serial Number (ISSN) as registered with the ISSN International Centre
  • Have content that is relevant for and readable by an international audience, meaning: have references in Roman script and have English language abstracts and titles
  • Have a publicly available publication ethics and publication malpractice statement
Ver quadro Critérios de seleção Scopus

Ajuda:

A General Introduction to Scopus and the Work of the Content Selection & Advisory Board

Helping to improve the submission & success process for Editors & Publishers 

 
Web of Science - inclusão de revistas
A base de dados Web of Science inclui os índices  Science Citation Index Expanded (SCIE), Social Sciences Citation Index (SSCI) or Arts & Humanities Citation Index (AHCI)  e Emerging Sources Citation Index (ESCI) que no total agregam cerca de 22300 publicações.


Web of Science Journal Evaluation Process and Selection Criteria

Electronic Journal Submission


Scielo Portugal
A Scientific Electronic Library Online - SciELO Portugal é uma biblioteca virtual que abrange uma colecção selecionada de revistas científicas portuguesas.

A submissão de candidaturas para a inclusão de uma revista na Coleção SciELO Portugal deverá ser realizada através do preenchimento de um formulário que reúne informação sobre a revista candidata e a sua adequação aos Critérios SciELO Portugal.
Mais informação
EBSCO - inclusão de revistas
A EBSCO disponibiliza um vasto conjunto de bases de dados de caráter científico, multidisciplinares e temáticas. 



Formulário para sugestão de publicações.
Lista de bases de dados EBSCO
Proquest - inclusão de revistas
A Proquest disponibiliza um vasto conjunto de bases de dados de caráter científico, multidisciplinares e temáticas. 

Para submissão de revistas:
Preencher o formulário

Envio de informação para o email  connectwithgca@proquest.com com a seguinte informação: título da revista, área temática, ISSN, número médio de artigos por fascículo e outras informações consideradas relevantes.

Mais informação
 
Após a submissão de uma publicação em formulário, a Proquest vai avaliar em que bases de dados a revista será incluída – ver lista de bases de dados.
Latindex - inclusão de revistas
A plataforma Latindex resulta da cooperação de uma rede de instituições, em que se visa a disseminação das revistas científicas da Península Ibérica e América Latina. Este diretório  de revistas foi criado em 1995 na Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM).

Diretório – dados bibliográficos de base e informação de contacto das publicações.
Catálogo 2.0 – estão incluídas as revistas que correspondem aos critérios e metodologia de seleção estabelecidos pelo Latindex.





Área para submissão de revistas

Coordenador nacional Latindex (para solicitação de apoio no processo de inclusão de revistas na plataforma Latindex)


 
Índices/Rankings
Os índices de avaliação de revistas científicas constituem instrumentos fundamentais para a análise da relevância e prestígio destas publicações sendo por essa razão importantes para a visibilidade de revistas.

Journal of Citation Reports (Clarivate Analytics) 
Trata-se do recurso muito usado para a avaliação de revistas, oferecendo dados quantitativos e bibliométricos, baseados na contagem de citações efetuada nas bases Science Citation Index e Social Science Citation Index da Web of Science (Clarivate Analytics).
Para estar incluída neste ranking, a revista tem que estar indexada na base de dados Web of Science Core Collection (Clarivate Analytics)

Scimago Journal & Country Rank
Inclui indicadores científicos relativos a revistas e países, com dados retirados da bases de dados Scopus. Para estar incluída neste ranking, a revista tem que estar indexada na base de dados Scopus.

European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences (ERIH PLUS)
Índice europeu de revistas científicas das áreas de Humanidades e Ciências Sociais.
Critérios de inclusão
Procedimentos para a aprovação de uma publicação
Formulário para nova publicação (implica criação de conta no site Web)


UlrichsWeb
Diretório de revistas internacional, disponível mediante subscrição ( a Universidade de Aveiro não subscreve este recurso).
Para submissão de uma publicação enviar email para ulrichs@proquest.com
Mais informação